Chega de álcool no final do ano! Quem disse que fim de ano é sinônimo de beber?

12 de dezembro de 2017 |

Pretende adotar bons hábitos em 2018? Chega de álcool no final do ano – na verdade, por que não estender para o ano todo?

Você sabia que o número de internações em hospitais de pronto-socorro por álcool costuma aumentar significativamente no final do ano? O álcool em excesso, infelizmente, continua gerando grandes transtornos tanto nas relações interpessoais quanto na própria saúde da pessoa que o ingere.

Depois de um dia de ingestão excessiva de álcool, os sintomas mais comuns são os que a maioria das pessoas já conhece: dores de cabeça, boca seca, náuseas, tontura, desconforto gastrintestinal, cansaço, sonolência, irritabilidade, tremores e falta de apetite. “A ressaca, como é popularmente conhecida, representa a intoxicação aguda do álcool e pode ter início de 6 a 8 horas após o consumo”, explica a nutricionista Jennifer Partika, do Instituto Mário de Abreu.

“Esse período pode prejudicar também a qualidade do sono, por interferir na atividade do cérebro e nos níveis de hormônios que regulam o sono – e até no ‘relógio biológico’”, termina. E o grande problema é que, no final do ano, o consumo de álcool é radicalizado por conta da sequência de datas festivas e, então, essa consequência torna-se recorrente.

Estatísticas

A situação mostra-se grave quando se analisam os dados: em termos de concentração do consumo, um levantamento realizado pelo Instituto Nacional de Políticas Públicas do Álcool e Outras Drogas da Universidade Federal de São Paulo, 20% dos adultos brasileiros que mais bebem ingerem 56% de todo o álcool consumido no país. A pesquisa revela também que dois de cada dez bebedores apresentaram critérios para abuso ou dependência de álcool, e que 32% dos adultos que bebem relataram não terem sido capazes de parar depois que começaram a beber.

Para a nutricionista Jennifer Partika, a situação é preocupante. “O consumo em excesso de bebidas alcoólicas aumenta os níveis de triglicérides no sangue. No caso de bebidas destiladas, como a vodca e o uísque, o malefício pode ser ainda maior, já que seu consumo em doses elevadas pode causar danos ao músculo do coração”, alerta.

Como parar com o álcool no final do ano?

Dica do Instituto Mário de Abreu

A recomendação dos médicos é a de não abusar. Se for beber, é preciso estar hidratado antes e, claro, não exagerar na dose.

O mais sugerido, no entanto, é tentar cortar a bebida e experimentar os drinques não alcóolicos do mercado – espumantes, vinhos, cervejas, entre outros. Ainda há inúmeras receitas de drinques e coquetéis refrescantes e sem álcool para você aproveitar o verão sem ter peso na consciência e deixando seu corpo ainda mais hidratado! Confira uma receita de drinque sem álcool a seguir:

Variação de Piña Colada sem álcool – Virgin Colada

Ingredientes:

  • 100ml de suco de abacaxi
  • 30ml de leite de coco
  • 20ml de leite condensado light
  • Soda limonada com complemento 

Passo a passo:

  1. Bata tudo no liquidificador.
  2. Use as fatias de abacaxi e groselha para decorar.
  3. Sirva em seguida.

Rendimento da porção:

  • 1 dose

Para mais dicas de saúde nesse verão, navegue pelo nosso blog no site do Instituto Mário de Abreu!