Cirurgia robótica no tratamento câncer de próstata: menos riscos, mais precisão

Cirurgia robótica no tratamento câncer de próstata

As vantagens do procedimento aplicado às doenças da Urologia são inúmeras

Quando o tratamento indicado para um câncer de próstata é a cirurgia, é comum o surgimento de dúvidas e os receios são naturais. Porém, os homens devem temer cada vez menos, afinal as técnicas cirúrgicas estão em constante evolução. Na Urologia, a cirurgia robótica já é uma realidade nacional, em especial no tratamento dos cânceres de próstata, rim e bexiga.

Há alguns anos, quando se pensava em uma prostatectomia – ou seja, na retirada total da próstata como tratamento para o câncer – o que se tinha como opção eram apenas os procedimentos abertos. Tempos depois, os médicos passaram a fazer as intervenções por técnicas laparoscópicas (ou seja, por “vídeo”), reduzindo a morbidade do procedimento. Atualmente, às operações por vídeo foram aliados “braços robóticos” altamente precisos. Estes são controlados pelo próprio cirurgião que opera por um console, como o “joystick” dos videogames.

Vantagens

Mas por que optar pela cirurgia robótica de câncer de próstata? Quem responde é o urologista Dr. André Matos de Oliveira, do Instituto Mário de Abreu.

“Em casos cirúrgicos de tratamento ao câncer de próstata, a cirurgia robótica é uma excelente opção por diversos motivos: oferece movimentos mais precisos, seguros e suaves; possibilita uma preservação maior das estruturas ao redor da próstata; reduz o sangramento durante a cirurgia, assim como a chance de transfusão de sangue; e auxilia numa recuperação mais rápida após a cirurgia”, lista o especialista.

Procedimento

O preparo para uma cirurgia robótica é o mesmo aplicado às cirurgias tradicionais – tanto em relação aos exames pré-operatórios necessários, quanto à internação e anestesia. Em média, o procedimento cirúrgico em si dura entre 2 e 3 horas.

São feitos pequenos cortes na região do abdome, onde ficam instaladas as pinças dos braços robóticos. Na mesma sala, com uma visão em 3D, recebendo imagens de altíssima precisão, o cirurgião realiza o procedimento.

Em 48 horas após o procedimento o paciente costuma receber alta para casa..

Dados

Na Europa e nos Estados Unidos, a aplicação da cirurgia robótica nos casos de câncer de próstata já é comum. Apenas no país do continente norte americano, para se ter uma ideia, quase 100% dos procedimento são feitos pelos “braços robôs”.

No Brasil, a técnica está em constante expansão nos Estados de São Paulo, Rio, Minas Gerais, DF, Pernambuco, Ceará, Pará, Rio Grande do Sul e no Paraná, exclusivamente em Curitiba.

Segundo dados de uma das empresas responsáveis pela distribuição dos “robôs cirurgiões” no país, das 8,5 mil cirurgias robóticas realizadas em 2018, cinco mil foram na Urologia; 90% em casos de câncer ou outras doenças na próstata.

Entre em contato com os especialistas do Instituto Mário de Abreu e informe-se mais sobre o assunto pelo número (41) 3232-1262.