Disfunção erétil: causas, tratamentos e sintomas

disfunção erétil

A disfunção erétil atinge quase metade da população masculina entre 40 e 80 anos, segundo dados da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU). Mesmo assim, pouco se fala a sério sobre o assunto. Vamos conversar sobre disfunção erétil?

 

Entenda o que causa a disfunção erétil:

A disfunção erétil, conhecida popularmente como impotência sexual, é a dificuldade de manter uma ereção. As causas podem ter relação com fatores psicológicos e/ou orgânicos, sendo mais comumente uma combinação dos dois fatores.

As causas psicológicas e emocionais são as mais comuns entre homens jovens, e podem ter relação com: depressão, estresse, autoestima baixa, insegurança e medo, especialmente se os medos forem relacionados ao desempenho sexual.

Também são várias as causas físicas desse problema. Entre as doenças que causam disfunção erétil, temos: arterosesclerose (que é o acúmulo de gordura nas artérias), diabetes, pressão alta, deficiência hormonal, problemas cardiovasculares e obesidade. O vício em cigarros e o uso de anabolizantes também podem causar impotência sexual.

 

Qual é o tratamento para disfunção erétil?

 

O tratamento para a disfunção erétil varia de acordo com o nível de gravidade da disfunção. Segundo o urologista André Matos, são três os degraus do tratamento: “O primeiro degrau é representado pelos comprimidos, ingeridos oralmente. O segundo degrau, quando o primeiro tratamento falha, são as medicações injetáveis no pênis – e apesar de em um primeiro momento os homens se assustarem com esse método, ele é quase indolor e é muito eficiente. E o terceiro tratamento é a colocação de prótese peniana. Assim como existem próteses de silicone para as mulheres, existem próteses de silicone para os homens. Elas podem ajudar em casos mais severos, nos quais os dois primeiros degraus não resolvem”, afirma o médico, que faz parte do corpo de especialistas do Instituto Mário de Abreu.

 

Disfunção erétil também atinge os jovens:

 

Diferente do que muitos podem pensar, a disfunção erétil não é uma exclusividade dos homens mais velhos. Jovens também podem sofrer com esse problema, a única diferença é que, entre os jovens, a probabilidade da causa ser psicológica é bem maior. Um fator que merece atenção entre os jovens é o uso irresponsável, e desnecessário, de remédios para impotência. Buscando uma maior “potência” sexual, homens jovens têm usado remédios desse tipo em suas relações, sem saber que a prática pode trazer mais problemas do que soluções.

Ainda segundo o urologista André Matos, o uso recreativo de remédios para impotência pode causar dependência emocional, já que a pessoa passa a precisar sempre usar o remédio, achando que não irá conseguir ter a relação sexual sem o medicamento. “O outro problema é que o corpo acostuma com o medicamento, e, caso a pessoa realmente precise do remédio algum dia, o remédio pode não funcionar como funcionaria normalmente”, explica.

Se você está passando por quadros semelhantes é hora de começar a se tratar. No Instituto Mário de Abreu, você conta com uma equipe especializada pronta para te atender. Entre em contato e marque a sua consulta no Instituto Mário de Abreu. O telefone é: (41) 3232-1262.