É possível avaliar quão avançado o câncer está pelo toque retal?

Apesar de estar cercado de preconceito por muitos homens e até mulheres, o toque retal ainda é o exame mais eficiente para diagnosticar o câncer de próstata. E isso acontece porque ele é o único exame que consegue identificar o câncer de próstata nos seus estágios mais iniciais e quanto antes o tumor for detectado e tratado, mais fácil será curá-lo.

Isso mesmo! A cura para o câncer de próstata está diretamente relacionada ao seu diagnóstico precoce e só o exame de toque retal é capaz de identificar o câncer de próstata ainda nas fases iniciais, diminuindo as chances de complicações por causa da doença.

Veja abaixo mais informações sobre o exame de toque retal:

A importância do exame de toque retal

O exame de toque retal é importante porque ele salva vidas. Sabe como? Identificando o câncer de próstata logo no comecinho, quando as chances de cura são infinitamente maiores. O exame PSA, ou antígeno prostático específico, pode e deve ser combinado ao exame de toque para um diagnóstico mais preciso.

Como é feito o exame de toque retal?

O toque retal é feito pelo médico urologista e não dura mais do que um minuto. O exame é indolor, pois o médico utiliza luvas de látex lubrificadas. O paciente pode ficar deitado ou inclinado sobre uma mesa para que o urologista introduza o dedo indicador no ânus do paciente e possa sentir a sua próstata. A partir da consistência da próstata e da presença ou ausência de nódulos na mesma, o médico poderá descartar a possibilidade da doença ou solicitar novos exames.

Todo homem acima dos 50 anos deve fazer o exame de toque retal anualmente

Não dá para esperar pelos sintomas aparecerem, porque o câncer de próstata não só é perigoso como também é silencioso. Quando os primeiros sintomas começam a aparecer, 95% dos casos já estão em estágio avançado, quando as chances de cura são mínimas. Por isso, é preciso se prevenir e fazer o exame de toque anualmente. Caso haja histórico familiar de câncer de próstata, é preciso fazer o exame anualmente a partir de 45 anos.

É preciso vencer os mitos que existem em torno do exame de toque retal

O exame de toque é rápido e não dói. Apesar disso, cerca de dois terços dos homens brasileiros ainda se recusam a fazê-lo. Por isso é fundamental conversar com os seus amigos e familiares buscando conscientizá-los da importância desse exame e desfazer os mitos e preconceitos em torno dele.

Quem tem medo do câncer de próstata?

O câncer de próstata mata um homem a cada 38 minutos no Brasil, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer, sendo o 2º  tipo de câncer com maior ocorrência entre os homens no país. Por isso, a prevenção é tão importante, e não é demais lembrar que a combinação do exame de toque + PSA consegue diagnosticar mais de 80% dos casos de câncer de próstata, não é mesmo?

Por que não fazer só o exame de PSA?

Uma pergunta que muitos homens fazem é: se o exame de PSA também identifica o câncer de próstata, por que fazer o exame de toque retal?

A resposta é bem simples e se baseia em como o exame funciona. Vejam só: o exame de PSA analisa a quantidade do “Antígeno Prostático Específico” no corpo, uma substância que é produzida na próstata. Ocorre que essa substância pode não sofrer alterações mesmo em casos de câncer. Ou seja, ainda que os resultados do PSA saiam como normais, é possível que haja um tumor.

 

Por isso, não tem como fugir: só há um jeito de garantir a cura do câncer de próstata e é com o diagnóstico precoce. E não há outro jeito de ter o diagnóstico precoce: é preciso fazer o exame de toque. Marque já o seu check-up em uma clínica especializada, como o Instituto Mário de Abreu. O número de telefone é o (41) 3232-1262.