Exames

Não precisa ter medo: fazer endoscopia não dói

Confira quais são as avaliações urológicas indicadas para cada faixa etária do homem

A endoscopia é o meio mais rápido e seguro para descobrir e tratar doenças do sistema digestivo. Apesar de toda a simplicidade do exame, ainda há muitas pessoas que resistem em fazê-lo, por puro medo. E esse medo é provocado por desconhecimento, já que existem inúmeros mitos em torno desse exame. Mas agora é a hora de tirar todas as suas dúvidas sobre a endoscopia. Saiba mais sobre esse exame tão importante:

 

Vou sentir dor ao fazer endoscopia?

Não vai. O exame é completamente indolor, porque utiliza sedativos que evitam qualquer tipo de desconforto. Você não sentirá nada nem na hora do exame nem depois. Alguns pacientes apresentam um pouco de náusea e desconforto depois do exame, mas são sintomas que logo passam, basta descansar.

 

Posso ir sozinho fazer endoscopia?

Não pode. Por causa dos sedativos utilizados durante o exame, o paciente pode ficar com reflexos mais lentos por algumas horas e e precisa ser levado de volta para casa com ajuda. Por isso é sim necessário levar um acompanhante maior de 18 anos na hora de fazer endoscopia.

 

Por que devo fazer endoscopia?

Se você sente incômodos como dor e queimação na boca do estômago, azia, refluxo, náuseas, vômito, sangramentos, indigestão e dor abdominal ou no peito, e até mesmo dificuldade para engolir, a endoscopia é o exame que pode te ajudar. Se você teve grande perda de peso sem motivo ou ainda histórico familiar de problemas gastrointestinais, também é importante procurar um profissional. A endoscopia permite ao médico gastroenterologista enxergar por dentro do esôfago, estômago e duodeno, descobrindo as razões de todo tipo de problema do sistema gastrointestinal. O médico pode ver diversos aspectos que não aparecem em exames mais simples, como o raio-x.

endoscopia

Por que a endoscopia é um exame tão importante?

Com a endoscopia é possível não só detectar como também tratar doenças. Até mesmo o câncer em estágio inicial pode ser removido na endoscopia, usando, é claro, acessórios especiais. Pólipos também podem ser tratados através de endoscopia, assim como hemorragias causadas por úlcera ou ruptura de varizes no esôfago ou estômago.

 

Como é feita a endoscopia?

Na endoscopia, um tubo flexível e fino chamado endoscópio é inserido na garganta do paciente, que a essa altura já está completamente sedado e não sentirá nada. O endoscópio possui uma câmera na sua ponta, sendo capaz de transmitir imagens de dentro do esôfago, estômago e duodeno, permitindo ao médico examinar atentamente esses órgãos. O médico também pode, durante a endoscopia, tratar sangramentos ou realizar biópsias.

 

O que mais preciso saber para fazer endoscopia?

  • Para fazer endoscopia é preciso fazer um jejum de comida e água por pelo menos 6 horas, pois o estômago e o duodeno devem estar limpos na hora do procedimento.
  • O exame, quando apenas de rotina, leva em média 15 minutos. Caso seja realizado para fazer algum tratamento, pode demorar um pouco mais.
  • Assim que os efeitos da anestesia passarem, o paciente pode e deve se alimentar normalmente.
  • O ideal é tirar 1 dia de licença médica para a realização do exame, ou somente trabalhar pela parte da manhã e fazer o exame à tarde. Os reflexos podem continuar lentos mesmo após algumas horas da realização da endoscopia, por isso não se recomenda dirigir ou trabalhar após o exame.

 

Já está convencido da importância da endoscopia, não é? Já sabe também que fazer endoscopia não é nenhum bicho de sete cabeças, não é mesmo? Então é hora de procurar um médico de confiança com especialização no assunto. Entre em contato com o Instituto Mário de Abreu, que conta com uma equipe especializada para cuidar de você. Você pode marcar a sua consulta no número (41) 3232-1262.

Endoscopia Digestiva Alta

A endoscopia digestiva alta, frequentemente chamada apenas de endoscopia, é um exame cujo objetivo é visualizar diretamente a parte superior do trato gastrointestinal, composta pelo esôfago, estômago e o duodeno (primeira porção do intestino delgado).

A endoscopia digestiva é um procedimento habitualmente feito pelo médico gastroenterologista e pode ser usada tanto como meio diagnóstico quanto para tratamento de diversos problemas do sistema digestivo alto, incluindo biópsias e até mesmo a retirada de pequenos tumores. O exame dura cerca de 5 minutos e geralmente é administrado sedativo para minimizar o desconforto dos pacientes no momento da endoscopia.

Após a Endoscopia Digestiva Alta:

O paciente é levado a uma sala de recuperação onde permanece até sua total recuperação.
Você poderá sentir algumas cólicas ou gazes o que se resolvem rapidamente.
Você poderá voltar a sua dieta habitual, porém recomenda-se voltar as atividades regulares no dia seguinte.

Colonoscopia

A colonoscopia é um exame cujo objetivo é permitir que o médico possa olhar diretamente para dentro do cólon (intestino grosso). Para tal, usamos um aparelho endoscópico chamado colonoscópio.

colonoscopia

Na extremidade do colonoscópio há uma microcâmera que transmite as imagens para um monitor, permitindo que o médico veja e grave o que ocorre dentro do intestino grosso. O colonoscópio também permite que o médico introduza instrumentos com a finalidade de obter amostras de lesões, tais como os pólipos do intestino grosso ou até mesmo retirar completamente vários tipos de lesões.

colonoscopia

Durante a colonoscopia, o médico pode realizar um procedimento denominado polipectomia. Neste exemplo, uma alça é passada pelo canal do colonoscópio para facilitar a remoção do pólipo.

Quanto tempo dura a colonoscopia?

O exame dura cerca de 20 minutos e é realizado sob sedação.

 

 

Retossigmoidoscopia

A retossigmoidoscopia é o procedimento para avaliar a porção mais distal do intestino (retossigmoide) e o canal anal. Para o sucesso e segurança do exame, é preciso que o intestino esteja limpo, portanto, é importante realizar adequadamente o preparo antes do exame.

Como é o exame de retossigmoidoscopia?

O exame de Retossigmoidoscopia é simples, rápido e indolor. O exame é realizado sem nenhum tipo de sedação ou anestesia e o paciente é liberado logo após a sua realização. Não há necessidade de jejum ou dieta específica.

 

 

Manometria Anorretal

A manometria anorretal se tornou importante na avaliação dos pacientes com problemas colorretais como obstipação intestinal, incontinência fecal, pré e pós-operatório de cirurgias orificiais e algumas cirurgias de câncer.

Nosso laboratório possui equipamento especializado para avaliar os músculos do ânus, assoalho pélvico, entre outras funções, muitas vezes essenciais tanto para diagnóstico como para avaliação pré e pós tratamento. Os profissionais têm ampla experiência na execução e interpretação dos mesmos, prestando serviço para pacientes próprios e externos com envio de laudos detalhados.

Como é o exame da manometria anorretal?

Os exames são de realização simples e indolor. O tempo médio para realização dos exames é de 10 a 20 minutos, não necessitando de nenhuma forma de sedação, anestesia ou preparo intestinal especial.

Veja aqui as orientações para o exame de manometria anorretal.

 

pHmetria

O exame de pHmetria de 24h é o principal exame para o diagnóstico da Doença do Refluxo Gastroesofágico.

O paciente permanece durante aproximadamente 24h com um sensor no esôfago que e sensível as variações do pH (acidez) do esôfago. Quando um episódio de refluxo gastroesofágico ocorre, a queda do pH intraesofágico é detectada pelo sensor e registrada em um gravador.

Após o término do exame, o número de ocorrências de refluxo e sua duração são determinadas. Com essas informações, o médico pode dizer se o paciente tem ou não refluxo anormal (doença do refluxo gastroesofágico). Além disso, é possível determinar se um determinado sintoma (pirose, tosse, dor no peito e outros) são decorrentes de refluxo ácido.

Os dados fornecidos pelo exame da pHmetria esofágica são utilizados por diversas especialidades, dentre elas a Gastroenterologia, Cirurgia do Aparelho Digestivo, Medicina Interna (Clínica Médica), Pediatria, Pneumologia, Cardiologia, Otorrinolaringologia, Dermatologia e Geriatria.

Indicações para a realização da pHmetria

Suspeita clínica de DRGE (doença do refluxo gastroesofágico);
Auxiliar na seleção do tratamento da DRGE (medicamentoso ou cirúrgico);
Avaliar pacientes após cirurgia antirrefluxo e persistência de sintomas;
Auxílio diagnóstico em casos selecionados de rouquidão ou tosse crônica;
Dor torácica de origem não cardíaca após avaliação do médico cardiologista;
Detectar DRGE em pacientes com doenças pulmonares (tais como asma e fibrose cística);
Outras indicações a critério médico.

pHmetria

Manometria Esofágica

A manometria esofágica é o exame que permite ao médico avaliar o funcionamento do esôfago, por meio da análise da força e da coordenação dos movimentos peristálticos do órgão. Alterações no peristaltismo do esôfago podem ocasionar diversos sintomas, como disfagia (dificuldade de engolir), dor no peito e pirose.

O exame é realizado ambulatoriamente, sem sedação, pois esta não é necessária e o médico precisa também da cooperação e informação do paciente. Tem duração de cerca de 20 minutos.

Os dados fornecidos pelo exame da Manometria Esofágica são utilizados por diversas especialidades, dentre elas a própria Gastroenterologia, Cirurgia do Aparelho Digestivo, Pediatria, Pneumologia, Cardiologia, Otorrinolaringologia, Dermatologia e Neurologia.

Indicações para a realização da manometria esofágica

Estabelecer o diagnóstico dos distúrbios da peristalse do esôfago;
Detectar alterações motoras do esôfago associadas às doenças sistêmicas;
Colocação de aparelhos intraluminares, como sensores da pHmetria de 24h;
Avaliação pré-operatória da função peristáltica em pacientes nos quais se considera a possibilidade de cirurgia antirrefluxo;
Outras indicações a critério médico.

Manometria Esofágica

Urodinâmica

Urodinâmica é um teste de validação da função da bexiga (reservatório de urina) e da função miccional (esvaziamento da bexiga). Serve para compreender os sintomas urinários e/ou ginecológicos. Com medições feitas pelo computador, este avalia o comportamento de sua bexiga durante seu enchimento, procurando simular seus sintomas reclamados. A maioria dos pacientes que se submetem a esse exame não sentem dores e, após 30 minutos, saem do consultório com seu laudo.

 

Ultrassonografia

Exame que permite visualizar órgãos internos graças ao emprego do ultrassom.