Tabagismo está ligado a 65% dos casos de câncer de bexiga

16 de outubro de 2017

Saiba mais como o tabagismo aumenta o risco de câncer de bexiga

Uma pesquisa realizada pelo Icesp (Instituto do Câncer do Estado de São Paulo) mostrou importância dos cuidados com os fatores de risco para o câncer de bexiga.

Nos pacientes atendidos pela equipe de urologia nos últimos 12 meses, foi constatado que o tabagismo está ligado a 65% dos casos de câncer de bexiga nos homens – e 25% dos casos em mulheres com tumores na região.

O urologista André Matos de Oliveira, do Instituto Mário de Abreu, também afirma que a principal causa do câncer de bexiga é o tabagismo. “A maioria das pessoas associa o tabagismo apenas ao câncer de pulmão, mas a comunidade médica pode afirmar que o vício em cigarros pode aumentar em três vezes a chance de desenvolver câncer na bexiga”, afirma o médico.

Isso acontece devido à quantidade de substâncias químicas e carcinogênicas que são inaladas pelo fumante.

O urologista Dilermando Neto, também do Instituto Mário de Abreu, explica como o cigarro pode causar danos no corpo humano. “Além de serem absorvidas pelo pulmão, as substâncias entram na corrente sanguínea e ainda são processadas pelos rins. Quando se encontram na urina, os compostos do tabaco podem danificar as células da bexiga e contribuir diretamente para o desenvolvimento do câncer no órgão a longo prazo”, termina.

Outros fatores de risco para o câncer de bexiga:

  • Exposição Ocupacional – Existem alguns produtos químicos que podem ser associados ao câncer de bexiga, como aminas aromáticas, utilizado na indústria.
  • Raça e Etnia – Pessoas brancas têm duas vezes mais chances de contrair câncer de bexiga do que negras. A causa ainda é desconhecida.
  • Idade – O risco de câncer de bexiga aumenta com a idade. Cerca de 90% das pessoas com câncer de bexiga tem mais de 55 anos de idade.
  • Gênero – O câncer de bexiga é mais comum em homens do que em mulheres.
  • Genética e histórico familiar – Pessoas que têm familiares com câncer de bexiga têm um risco aumentado da doença. “Elas também podem compartilhar alterações em alguns genes, que podem torná-los mais propensos a desenvolver câncer na bexiga”, explica o urologista André Matos.

Como prevenir?

As melhores maneiras de prevenção do câncer de bexiga são:

  • Evitar fumar – segundo os especialistas, não existe quantidade segura –;
  • Para os profissionais da indústria, é essencial o uso dos EPIs (equipamentos de proteção), como luvas e máscaras;
  • Ingerir bastante água – no mínimo, dois litros de água por dia;
  • Apostar na alimentação equilibrada, com fibras, frutas, legumes, proteínas magras e ingestão de produtos naturais.
  • Fazer check-up médico frequentemente e consultar-se sempre que perceber algo anormal.

Se você se identifica com vários fatores de risco e suspeita de câncer de bexiga, entre em contato com o Instituto Mário de Abreu pelo telefone (41) 3232-1262 e tenha um diagnóstico o mais rápido possível.

*https://goo.gl/E1ufcb