Quais são as três principais causas do cálculo renal?

20 de março de 2018

Cerca de 80% das pessoas que têm cálculo renal não sentem nada, já que as pedras pequenas, quando estão paradas dentro do rim, geralmente não causam dor. Por vezes, as pessoas podem até eliminá-las pela urina sem perceber.

Mas no momento em que as pedras se tornam maiores, a situação muda. “Quando elas descem para o ureter, a dor é intensa, partindo da lombar e irradiando para o baixo ventre. Além de dores fortes, pode haver sangue na urina, dificuldade para urinar e vômitos”, relata o urologista André Matos, do Instituto Mário de Abreu. Nesse caso, o enfermo deve buscar atendimento. O médico irá receitar um remédio para dor e identificar onde o cálculo está localizado para, então, indicar o tratamento adequado.

Se você quer se prevenir, saiba quais são as principais causas das pedras nos rins.

Três principais causas do cálculo renal:

  1. Herança genética

Um problema muito comum e que normalmente não tem escapatória é o histórico familiar de cálculos renais, resultando em distúrbios metabólicos, como o excesso de eliminação de cálcio e ácido úrico na urina ou a falta de substâncias protetoras da urina, como o citrato.

Segundo o urologista, existem pessoas com herança genética que formam pedras no rim de tempos em tempos – essas são chamadas de “formadoras crônicas” pela comunidade médica.

  1. Falta de ingestão de líquidos

A restrição hídrica tem sido um fator considerável para a formação de cálculo renal, principalmente nas épocas de calor, quando a transpiração é maior ao longo do dia. “Pessoas que bebem menos líquidos do que deveriam podem apresentar urina mais concentrada”, afirma o urologista.

  1. Irregularidade alimentar

Existem muitos alimentos não recomendados para quem tem tendências a formar cálculo renal, sendo que os principais são os ricos em oxalatos. São eles:

  • Espinafre
  • Beterraba
  • Cacau
  • Ruibarbo
  • Refrigerantes
  • Chás (chá preto, mate ou verde)
  • Amendoim
  • Café
  • Bebidas achocolatadas
  • Chocolate
  • Nozes
  • Mariscos
  • Frutos do mar

Além disso, uma dieta com excesso de sal e/ou de proteínas pode sobrecarregar os rins, causando a formação de cálculos. Dentre os alimentos que mais precisam de cautela dentro do grupo dos proteicos estão as carnes vermelhas e os suplementos proteicos. As proteínas, apesar de serem importantes nutrientes que tem a função de formar células e renovar músculos e tecidos, ainda deixam como produto final a ureia, substância que, em abundância, abre portas para a formação de cálculos no rim e outras complicações.

Dicas de prevenção

Para se prevenir ainda mais com a alimentação, uma boa dica para evitar a formação de pedra nos rins é cozinhar os vegetais ricos em oxalatos duas vezes, jogando a água do primeiro cozimento fora.

Além disso, é imprescindível eliminar o sal e os alimentos industrializados da dieta. A recomendação é manter a quantidade mínima de consumo de líquidos, que é de dois litros por dia. Esse hábito, além de manter o corpo hidratado e garantir mais disposição, é indispensável à saúde dos rins, na prevenção de infecções e formação de cálculos.

Se você se identifica com algum dos fatores de risco, dobre seus cuidados. Caso já suspeite da enfermidade, procure atendimento.

Ainda tem dúvidas? Entre em contato com o Instituto Mário de Abreu.