Como a endoscopia diagnostica o verme do sushi

02 de agosto de 2017

Como a endoscopia diagnostica o verme do sushi

O famoso verme do sushi, que melhor se classifica como uma parasitose intestinal provocada por vermes da espécie Anisakis, é adquirido, geralmente, após a ingestão de frutos do mar ou peixes crus ou malpassados. Apesar de ainda ser uma doença pouco conhecida, a anisaquíase vem se tornando cada vez mais observada no Brasil com a popularização de pratos com peixes crus ou mal cozidos – como sushi, salmão defumado, ceviches e carpaccios de salmão.

A larva do verme costuma ficar alojada no músculo dos peixes, sendo possível identificar os parasitas no momento em que o peixe está sendo fatiado. Se contaminada, uma pessoa pode apresentar danos diretos aos tecidos do trato gastrointestinal e/ou reação alérgica provocada pelo parasita, demonstrando sintomas visíveis entre 1 a 8 horas após a ingestão – que podem incluir, entre os mais comuns, a dor estomacal aguda, febre baixa, náuseas e vômitos.

A endoscopia no diagnóstico do verme do sushi

“Na maioria dos casos, o diagnóstico da anisaquíase pode ser feita através de uma endoscopia digestiva alta, que é capaz de obter imagens da larva do verme dentro do estômago”, explica o médico Marcos de Abreu Bonardi, do Instituto Mário de Abreu. Quando o verme ainda se encontra no estômago, a sua remoção através da própria endoscopia digestiva é suficiente para curar o paciente – e os sintomas desaparecem logo no final do procedimento.

Se o verme não estiver mais no estômago, tanto o diagnóstico quanto o tratamento tornam-se mais complexos. Alguns exames de sangue podem auxiliar a detectar uma infecção causada pelo Anisakis, porém, é preciso procurar em quais laboratórios eles estão disponíveis. Para o tratamento, a cirurgia acaba sendo a forma mais indicada de tratar a infecção, visto que o verme pode ter penetrado a mucosa do intestino e provocado abscesso ou obstrução intestinal.

Prevenção

Segundo os médicos, é importante estar atento na procedência da preparação de pratos em locais onde se comem os peixes crus. A dica é observar a higiene do ambiente e dos funcionários, além de conferir, em aplicativos de avaliações de comércios, se os comentários sobre o estabelecimento são negativos.

O verme do sushi é um quadro que pode gerar incômodo e mal estar intensos. Aposte no diagnóstico precoce e alcance um tratamento eficaz por meio da endoscopia. O Instituto Mário de Abreu tem uma equipe especializada, eficiente e preparada para atendê-lo. Entre em contato e agende sua consulta pelo número (41) 3232-1262.